História

“Era uma vez” um grupo de rapazes que se juntavam aos domingos, formavam um grupo e iam jogar à bola. Sem carácter oficial, deslocavam-se e recebiam outros grupos de rapazes: da Moita, do Barreiro, de Alhos Vedros, de Setúbal, da Quinta do Anjo, etc.. Promoviam o convívio em torno de jogos de futebol.  Nessa altura, jogava-se à bola por baixo da Fonte de Sant’Ana, na encosta virada para o Vale dos Barris.
A regularidade destes encontros e o gosto comum pelo futebol conduziu à sua oficialização e à criação de um clube, o “Palmelense Football Club”, fundado em 8 de Abril de 1924.

A reunião da Fundação teve lugar na Farmácia Matos, na Vila de Palmela.

A sua primeira Direcção foi constituída por:

José Trajano Godinho de Matos – Presidente

Higino Caetano – Secretário

António Diniz Cardoso – Tesoureiro.

Sócios Fundadores:

José Trajano Godinho de Matos, Manuel Henrique Taborda e Moura, António Diniz Cardoso, Humberto Cardoso, Alfredo Almeida Cabica, Higino Caetano, João Gomes Caçarino, Manuel Salvador Pereira, Pompeu da Costa Pinto, Leonídio Rodrigues de Fonseca, Manuel Monteiro, Ventura Batista Pacheco, Salvador Mendes, Humberto A. Parrinha, Horácio Filipe Ribeiro, Duarte Batista, António dos Santos, Joaquim Parrinha, Isidoro Sacramento Rôla, Joaquim Brazão Pereira da Fonseca, Virgílio da Silva, Leonel Coelho, Venceslau Batista Pacheco, Manuel Augusto Cardoso, Joaquim Fonseca, Manuel Américo Parrinha, António Henrique Marques, Pedro Mares, Domingos Diogo d’Oliveira, António Tibério Monteiro, Crescencio da Silva, Tomaz Duarte, Mário d’Almeida Cabica, Tomé Alves, Venâncio Ribeiro (sobrinho), Vergílio Batista, António Nunes Chafardão, João Batista de Sousa, Isidoro Augusto da Silva Barrocas, José Mota Roque, Manuel da Costa Contente, Augusto Ferreira, Abílio dos Santos Coelho, Floriano Tormenta, Xavier Santana, João Valério Camolas, Policarpo Augusto Calha, Traciso Almeida Cabica, Salvador Santana, Augusto Antão Real, Manuel Augusto da Silva Parrinha, João Marques Cananda Júnior, Manuel Sousa Lopes, João da Cruz Monteiro, Joaquim Roque Peutonto, Sebastião Pereira Covinha, Armando Gomes, Joaquim Guerreiro Athaz, Francisco Sant’Ana Nunes, Joaquim Rodrigues Barrocas, Zacarias d’Oliveira, António Rodrigues, António d’Oliveira Anão, Mário Augusto Monteiro, Adelino d’Oliveira, Joaquim Rôla, Cândido José Silva, José Augusto Cardoso, José de Sousa, Hedio Cezario, Manuel Joaquim Tabonça, José Lopes Cardoso, António Miranda, António Augusto Pereira, António Augusto Cardoso, Manuel Joaquim Batista, Manuel Lopes Cardoso, Joaquim Cordeiro da Rita, Sebastião Mendes Pereira Cordinha, António Batista e António Júlio Barrocas.

Após a sua fundação começou-se a jogar no “Campo do Manuel Moura”, antigo proprietário do terreno, e posteriormente designado por Campo Cornélio Palma, em homenagem ao general romano Aúlio Cornélio Palma Frontiano (Sec. II d.c.).
A primeira sede do Clube foi no Chafariz, na casa de Xavier Santana. Mais tarde, a casa que pertencia a Manuel Diocleciano Calha foi vendida ao Palmelense Football Clube passando a ser a sede do clube, local onde ainda hoje se situa, na Rua Serpa Pinto.
O vestiário “improvisado”, era o estabelecimento de um dos sócios, Garibaldi da Costa Pinto, mais tarde, numa casa de correeiro que se situava no Terreiro, na Rua Hermenegildo Capelo.
Os balneários eram os tanques de bebedouro para os animais do Chafariz Dª Maria I .

Na época discutia-se a criação da Associação de Futebol de Setúbal e assim, com naturalidade, o Palmelense Football Clube tornou-se num dos nove clubes fundadores da desta Associação (AFS), em 5 de Maio de 1927.  Dos nove clubes fundadores da AFS apenas quatro ainda mantêm as suas equipas em competição – Palmelense F. C., Vitória F.C., Luso F.C. e U.F.Comércio e Industria. Os restantes fundadores foram: Bonfim F.C., Estrela S.C., G.D. Empregados do Comércio, G.D. Setubalense, Racing S.C. S.C. Setúbal, S.C. Setubalense, S. Domingos F.C: e União Futebol Avenida.

Com um clube já oficializado, uma equipa completa, apenas faltava ter o seu próprio campo de futebol para treinar e receber os adversários.

Assim, indo ao encontro das origens da Cidade de Palmela baptizou-se o campo com o nome Cornélio Palma, em homenagem ao antigo soldado romano.
Com o aparecimento da equipa de futebol, seguem-se as participações nos campeonatos da Associação de Futebol de Setúbal, a maioria na 1ª divisão, passando esporadicamente pela 2ª, onde conquistou o titulo de campeão por três vezes.

Numa fase de maior esplendor, disputou diversos anos o campeonato nacional da 3ª divisão, esteve também na 2ª divisão nacional na época de 1946/47 com um grupo exclusivamente de Palmela, tendo obtido resultados brilhantes.

%d bloggers like this: